c

c
Imagens: Sicalis flaveola (Canário-da-terra)/Cláudio Gontijo/Lassance-MG

sábado, 25 de junho de 2016

Sob medida





Imagem: Cláudio Gontijo





Muitos são os que  não acalentam mais o que sonharam durante um tempo distante.
A humildade um dia construída, hoje se espalha pelo chão em ruínas de constrangimento.
Perderam seus amigos de infância e a infância que carregavam.
Perderam a paz que os conduzia em risos e espontaneidade.
Perderam as referências que os possibilitavam ser aquilo que realmente eram.
Os caminhos deixaram de ser singelos e naturais,
e agora tem muitas manchas de superficialidade.
Tornaram-se aplainados, previsíveis, marcados por estranhas ferramentas tecnológicas.
E não oferecem mais o benefício da simplicidade, das formas cruas e verdadeiras.
Conquistou-se mais benefícios e benesses, facilidades, rapidez.
Mas o que parecia prático, deixou menor o tempo em que se caminha ao ar livre.
Aumentaram-se as distâncias,
das manhãs de sol,
das cores das pétalas.
Agora muitas aspirações materiais são sanadas, mas a anestesia chega ao final do dia.
Muitos já não podem contar com os que já abraçaram,
agora só visualizam o futuro que se estampa nas quadros eletrônicos.
Muitos não são mais os mesmos,
e nem querem ser o que de fato são.
As profecias que entram em suas salas informam os padrões,
da próxima estação,
da nova marca,
do que será reformado,
do que puder ser encomendado.

2 comentários:

Celle disse...

na vida tudo passa!
voltar ao passado não deve nos entristecer. relembrar coisas boas que vivenciamos deveria nos trazer prazer, saude e alegria!
Eu gosto de lembrar o que ja vivenciei, é gostoso!

Claudio Gontijo disse...

Vc tem razão, Circele. O que ocorre é que a escrita talvez seja boa ferramenta para a reflexão.