c

c
Imagens: Sicalis flaveola (Canário-da-terra)/Cláudio Gontijo/Lassance-MG

sábado, 14 de setembro de 2013

João-de-Barro

Quando se nota um pássaro de penas pardas batendo freneticamente as suas asas e emitindo um canto estridente, caminhando pelo chão, logo é possível reconhecer a figura simpática do João-de-barro (Furnarius rufus). Ele caminha à procura de larvas, insetos e sementes, seus alimentos prediletos. Não se acanha em aproximar-se das pessoas.





O João-de-barro na sua caminhada habitual. Imagem: Cláudio J Gontijo/Lassance-MG



Um casal de João-de-barro trabalha a terra molhada, misturando-a a pequenos ramos secos, palha, que vão dar consistência ao seu ninho. Esta massa pode ser modelada pelo bico e manuseada também com os pés. A casinha é construída nos mais diversos lugares, geralmente é comum nos galhos das árvores. Macho e fêmea vão se revesar na construção deste ninho, onde serão depositados quatro ovos, em média, a cada três vezes no ano. Em duas semanas os ovos eclodem e os filhotes serão capazes de voar em 20 a 30 dias.


Revesamento do casal em torno do ninho. Imagem: Cláudio J Gontijo/Lassance-MG

O casal de João-de-barro. Imagem: Cláudio J Gontijo/Lassance-MG





Este pássaro não possui o hábito de reutilizar seu ninho. A cado período reprodutivo uma nova empreitada é executada. As moradas antigas vão sendo usadas por outras espécies de pássaros e até mesmo lagartos ou pequenas cobras. Outro detalhe interessante sobre a casinha é que ela possui dois "cômodos" distintos; a entrada e um outro mais ao fundo onde são depositados os ovos. A entrada é construída de forma estratégica, contrária à posição das rajadas de vento mais comuns na região.


O João-de-barro habita as regiões sul, sudeste e centro-oeste, e outros países como a Argentina, Bolívia, Paraguai. Prefere os campos de árvores esparsas e o cerrado.






Postar um comentário