c

c
Imagens: Sicalis flaveola (Canário-da-terra)/Cláudio Gontijo/Lassance-MG

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Flores na pardaceira

O período de estiagem é crítico no sertão. Há dois anos já não chove regularmente e muitos córregos apresentam seus leitos até mesmo cheios de poeira. Mas a natureza possui a capacidade de nos surpreender, encantar, até mesmo nos momentos em que atravessa a adversidade. É mesmo uma lição, uma forma de nos mostrar que é possível sorrir quando tudo parece escasso. 


Leito seco de um córrego. Imagem: Cláudio Gontijo/Lassance-MG




O Ipê Amarelo cascudo, Pau d'arco amarelo, perde todas as suas folhas entre agosto e setembro, e mostra as suas flores. É o único momento do ano, exatamente no mais adverso, que a espécie Handroanthus chrysotrich  estampa seus ramalhetes amarelos.


Imagens: Cláudio Gontijo/Lassance-MG
























Outras floradas aparecem em cores róseas. Também sem as folhas, o Ipê-rosa mostra a suas flores no mesmo período. Logo, elas, assim como no Pau d'arco amarelo, darão origem a sementes aladas que serão transportadas para vários pontos da mata ciliar e do cerrado.






                                                          Imagens: Cláudio Gontijo/Lassance-MG















Como a disponibilidade de água é crítica, estas espécies adaptaram-se perdendo as folhas para que a evaporação seja menor e elas possam manter-se vivas...e floridas.