c

c
Imagens: Sicalis flaveola (Canário-da-terra)/Cláudio Gontijo/Lassance-MG

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Primavera

Dia após dia vamos caminhando através do tempo que já foi nublado.
Hoje o sol já entra em frestas da boa vontade,
e temos o consolo da simplicidade.
Sem desejar aquilo que temos quase conosco,
e não notamos porque nossos passos foram muito largos.






Dia após dia e olhamos dentro da nossa vaidade que já retocamos com frequência,
e agora ficamos aliviados porque, as vezes, a temos visto em gavetas trancadas.
Ficamos sorridentes, em sorriso de verdade,
porque já não temos a necessidade de ver espetáculos contínuos desta vida,
que nunca desejou o palco e os aplausos e, sim, nosso olhar de misericórdia.
Dia após dia, após despertarmos em manhãs que já não nos trazem só as horas,
vamos rezando com mais frequência, pedindo com mais timidez,
querendo só o que nos basta, perdoando sem pudor, amando mais nossas crianças.
Já podemos esperar pela primavera com uma serenidade que nós desperta para as flores que virão,
e não para viagens que talvez nem façamos, com a pompa que um dia planejamos.











Dia após dia, após muitos acenos e conversas, muitos abraços cheios de gratidão e saudade,
já sabemos que podemos nos emocionar repetidas vezes,
que já somos capazes de sermos solidários com aqueles que mal conhecemos.
Porque ainda ontem choramos por aquela ansiedade cruel e inoportuna,
por aquele egoismo que não nos deixava olhar através da janela.
Hoje já temos mais paz e agradecemos com emoção de raízes profundas,
afinal, já somos mais desenvoltos e sabemos o que nos toca com a suavidade da luz tênue,
porque já estamos ouvindo mais , já somos mais felizes.







Imagens: Cláudia Gontijo/Claudio J. Gontijo      Texto: Cláudio J Gontijo

Postar um comentário